Não me julgue

O começo do erro

Por favor, não me julgue pelas minhas palavras que escreverei, e eu não julgarei todo o mal que você me fez e ainda faz.

Não posso negar que nos conhecemos quando eu ainda não entendia nada sobre a vida. Mas é claro que eu não iria deixar a oportunidade passar. Eu juro que tentei. Palavra.

Queria que soubesse de algumas coisas. Quando o homem conhece uma mulher acima das suas expectativas, e sim, estou falando sobre beleza, ele fica maluco, simplesmente não age como o de costume, passa a ter outro tipo de personalidade e ações. Posso te provar que foi isso que aconteceu comigo.

Eu ainda não entendo o porquê, mas tudo o que eu mais temia era que outro cara mais provido de inteligência e malandragem te tirasse de mim. Triste época em que estávamos… eu mal conseguia entender os meus erros, ainda mais ter que lidar com os seus. Mas é claro, somos humanos e erramos a todo momento e isso não caracteriza nossa essência.

Fecho os olhos e aquela historia que começou a se formar me toma a mente, tento afastá-la, mas você acha que é possível? Estava começando a escrever, com muitas ideias na cabeça e ambições de tornar tudo aquilo um livro. Esse é o objetivo de boa parte dos escritores, se não for de todos.

Se não me falha a memória era uma quarta feira, quando eu estava com os meus alunos deficientes na quadra de esportes e meu telefone tocou. Olhei e vi que tinha mensagens de uma garota muito bonita. Começamos a conversar e eu fiquei muito interessado por ela. Tinha um jeito difícil, beleza fora do normal e conversava de maneira misteriosa. Bom, de alguma maneira aquilo me interessou mais do que deveria. Me deixei levar pelo momento e fomos conversando, ela morava mais longe do que eu já tinha ido só que isso não era empecilho para mim.

Queimando no sofá

Te peço para que não me julgue.

O ônibus andava rápido, logo eu chegaria a Osasco. Minha garota estava me esperando com fogo no corpo, suas chamas me atraiam mesmo a dezenas de quilômetros. Desci a ladeira e abri o portãozinho de ferro, empurrei a porta de vagar e a vi deitada. Ela me chamou com as mãos e eu deitei por cima. Olhei nos teus olhos e dei oi com eles. Ela vibrava, nunca tinha visto teu corpo tão contraído e quente daquela maneira.  Me despi pela metade e deixei que afundasse parte de mim sobre o seu corpo. Ela mordia os lábios, revirava os olhos e me dizia o quanto sentiu saudade. Eu não poderia ouvir nada melhor para os meus ouvidos e coração. Se todos os homens pudessem amar suas mulheres da mesma forma que nos amamos naquele sofá não existia guerra no mundo.

Nossos dias eram todos assim, com muita ternura, geralmente vinda de mim. Eu insistia para que nós nos amassemos, mal entendia que deveria respeitar o espaço e desejos dela. Mas como ia entender a complexidade desses momentos? Para mim, quando se estava junto consequentemente queria se embrenhar, mas aprendi, tarde porém aprendi.

A fantasia

         Todo homem tem sua fantasia sexual incrustada na sua mente. Há aqueles que morrem sem conseguir realizá-las e os que são felizardos de terem a parceiras ideais. Felizmente eu iniciei a minha. Antes de chegar a sua casa pedi que ela preparasse tudo. Estava ofegante de tanto desejo, mas me controlava, se comportar em locais públicos era um grande problema para mim. Finalmente cheguei e a encontrei deitada no sofá como sempre. Beijei-a e ela pode sentir o quanto eu queimava, era possível um ser humano sentir-se tão atraído assim? Não demorou muito e ela foi para o quarto se vestir. Fiquei esperando na sala com uma garrafa de vodka. Bebia longas doses para entrar no clima.  Me sentei no sofá e fiquei esperando impacientemente, pensei em gritar seu nome para saber se estava tudo bem, demorava mais que cinco minutos mas me contive.

Ela abriu a porta bem devagar e me sorriu lindamente. Estava toda de branco, se vestia de enfermeira se não me engano. A saia curta e rodada era o que mais me instigava. Ao invés de apenas a atacá-la, decidi prender as suas mãos e te vendar os olhos. Assim ela não tinha controle nenhum da situação e a transferia para mim. Coloquei-a de joelhos e a beijei a boca, tinha gosto de álcool com paixão, a melhor mistura. Desci pelo seu pescoço e acariciei seu corpo, ambos suspiraram de prazer. Ela parecia sentir o que estava acontecendo, mas se recusava a ficar presa com aquelas algemas de pano. Tentava se soltar.

– Amor, não tira, fica assim, ta legal.

– Tudo bem, mas ta machucando

– Daqui a pouco eu tiro.

Seu corpo de violão ficava mais belo em meio daquela submissão. Comecei tirando o top, depois cai de boca nos seus peitos fartos. Isso que era mulher, boa de mente e de curvas. Continuei te acariciando até que sua saia caiu sobre o chão. Juntei nossos corpos, mas estava dificultoso com ela vendada.

– Acho que já pode tirar. – disse ela.

Concordei e a desvendei. Ela me olhou com chamas nos olhos, me estremeci. Como não amar tanto assim essa mulher? Avancei para os seus lábios e a molhei toda. Minha forma de mostrá-la o quanto eu estava apaixonado era a insegurança de perde-la. Abraços apertados, cariciais incessantes e beijos demorados e molhados. As características de quem está tentando marcar o seu território, mas ele já era meu, só faltava eu saber.

Nos deitamos no chão – o nosso ninho de amor – e detonamos naquela tarde. Fiz com que ela bebesse no mesmo ritmo do que eu. Pois não queria ficar alegre sozinho, era injusto. Ela bebia sem muita vontade, mas estava fazendo efeito, com o tempo ela ficava mais legal e acessível. Seu corpo permanecia rígido e dourado como o ouro. Não cansava de beijá-la inteira.

Depois de algumas demoradas horas descansamos os corpos no colchão. Não me imaginava longe desse novo mundo. O único mundo a dois que conseguia me manter conectado mesmo que de longe. Adormecemos no final da tarde para recuperar nossas energias, e é claro que ao acordar a minha vontade de tê-la voltaria. Não tinha como fugir das minhas vontades, elas eram mais fortes do que eu.

A traição

         Se eu pudesse mudar alguma coisa no meu passado, esse dia com certeza seria o primeiro em que eu pensaria. Meu maior erro fora não ter sido transparente o bastante para mostrá-la qual era a minha forma de viver e com quem eu me comunicava. Depois que quebramos a confiança de uma pessoa fica muito mais difícil de conquistar, isso quando conseguimos. Com ela não fora diferente, fui opaco nas minhas atitudes e não a contei do mundo vasto de mulheres em que tinha amizade. Por mais que fossem todas interessadas no que eu escrevia e não em mim necessariamente, era um motivo que eu pretendia esconder por medo dela não entender. Claro, errei e errei feio. Além de não ter sido transparente eu subestimei a capacidade dela de compreensão e não tinha como dar outro resultado. Mas por favor, não me julgue.

Eu nunca fui capaz de tomar uma decisão que fosse para machucá-la, muito pelo contrario, todos os meus atos sempre fora por um motivo só: o sorriso no rosto que tanto chorou e chora até agora, pois eu vejo.

No momento em que vi a traição sendo descoberta o meu mundo desabou, tudo o que me parecia ser prioridade ou ter o mínimo de importância já não tinha significado algum. Minha cara não tinha onde se enfiar, meu corpo ficou fraco e ela saiu chorando, natural de se acontecer nesses momentos. Ela saiu correndo para fora de casa, desacreditando em tudo o que tinha visto e eu tentando encontrar as palavras certas para amenizar o acontecido. Bom, não me veio nada na cabeça, fiquei transtornado, pois sabia que pequenos motivos se tornariam nosso maior pesadelo e que nada iria ser como antes. Por mais que estivéssemos indo bem, existe a teoria da montanha russa, um dia está lá em cima e no outro lá em baixo, não tem como fugir disso.

Tentei acalmá-la de todas as maneiras que tive, mas a ordem era que eu me retirasse de sua frente e da sua casa, nada mais justo para quem fora traído. Me retirei mas não consegui ir embora. Fiquei na ponta da rua, atrás de um poste, esperando que ela saísse de casa então eu iria correndo tentar explicar tudo.

Fiquei durante muitas horas esperando, mas não lembro de ter tido a chance de me aproximar dela. Tentava me comunicar pelo telefone, mas mesmo assim era impossível. Tocava, tocava, tocava, tocava e nada. Teve umas poucas vezes em que ela atendeu, mas comigo cheio de arrependimento e nervosismo ao falar, não consegui convencê-la de que conversássemos. E fui embora, com o peito estourando de medo de que fosse o final.

No final

         Me afastei dela mas não por ter parado de gostar ou algo do tipo, mas preferi dar o tempo e espaço necessário que cada um precisa. Tudo de ruim que acontece com a gente marca mais do que as coisas boas. É por isso que existem as separações e os divórcios, porque se formos parar pra pensar: E se em meio á tantos acertos de uma pessoa, nós nos separarmos dela por um erro só que ela tenha cometido? Se esquecermos de tudo de bom que ela já nos fez e nos basearmos apenas em algo de errado que tenha acontecido? Isso seria injusto de todos os ângulos possíveis. Claro que nossos erros têm os seus efeitos e suas consequências amargas e acidas, mas e tudo de bom que foi vivido? Para onde vai? Se apaga da memória?

Não importa quanto tempo passe e nem quantas pessoas eu conheça, o sentimento de querer alguém de verdade comigo sempre permanecerá sendo de você. Porque é algo inexplicável, como o movimento continuo das nuvens lá no céu e sua chuva em forma de dilúvio. Me enchi de inseguranças e incertezas enquanto estive contigo que hoje desmascaro todas essas imperfeições de dois anos atrás. E mesmo que não importe nada do que eu diga ou sinta, o sentimento permanece o mesmo. Forte e pulsante. Por lembrar do clima silencioso e quente das nossas noites. Quando a ternura e a paixão falava mais alto do que qualquer razão. E o que era racionalidade quando se tinha um ao outro para amar?

Imagina um novo começo nos dias de hoje? Com mais consciência do que é errado e certo? Claro que a verdade não é absoluta e sim individual, mas falando sobre probabilidade, as suas eram totalitárias de me conquistar, pois existem terras que só se adéquam á um dono, e alguém aqui é a proprietária de tudo o que eu sou e serei.

Não tive facilidade para começar a escrever isso e nem tenho a conclusão para terminar, afinal, se vermos como foram os acontecimentos entre nós não teve espaços de tempos possíveis para entender como começou e terminou. Falar sobre passado não é a melhor atividade, mas ter onde se espelhar para fazer o certo hoje é o meu maior incentivo para dar motivos ao fato de nunca ter te esquecido.

  Compra no boleto e paga na lotérica
   Baixa aí que é de graça

amazon-iconsaraiva icone clube icone google play  icone agbook

      twitter 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s